Propriedade Intelectual

03918335-7200-4626-a699-528857695967

O INPI disponibilizou o Radar Tecnológico nº 19, com o título “Biotecnologia e depósito de material biológico para fins de Patente / Tratado de Budapeste”, que apresenta um panorama dos pedidos depositados por nacionais no período de 2010 a 2016. O estudo também realizou posterior análise dos pedidos que apresentam depósito de material biológico nas Autoridades Depositárias Internacionais (IDAs) reconhecidas pelo Tratado de Budapeste.

O levantamento auxilia na avaliação da demanda para o credenciamento de uma Autoridade Depositária Internacional no Brasil, caso o país decida pela assinatura daquele tratado.

fonte:http://www.inpi.gov.br/noticias/novo-radar-tecnologico-mapeia-patentes-de-material-biologico

Sob o tema Inovação no Mundo do Esporte, foi realizado no Parque Tecnológico da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), no dia 18 de abril, evento em comemoração ao Dia da Propriedade Intelectual, celebrado em todo o mundo em 26 de abril. A atividade contou com apoio do INPI, da Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI), da  Associação Brasileira da Propriedade Intelectual (ABPI) e da Licensing Executive Society (LES-Brasil).

As boas-vindas aos mais de 50 participantes foi dada pelo diretor do Parque Tecnológico, José Carlos Pinto, que destacou a produção, desde 2010, de 180 pedidos de propriedade intelectual efetuados pelas instituições instaladas no Parque, que somam 68 entre pequenas, médias e grandes empresas, nacionais e internacionais, além de startups e laboratórios.

Participaram da mesa de abertura o coordenador-geral de Disseminação para Inovação do INPI, Felipe Augusto Melo de Oliveira; a conselheira do Escritório da OMPI no Brasil, Isabella Pimentel; o diretor da ABPI, Filipe Fonteles Cabral; a conselheira da LES-Brasil, Evelyn Montellano; e o representante das Empresas do Parque, Marcio Spínola.

Esportes e PI

Segundo o representante do INPI, mais que benefícios para a saúde e o bem-estar das pessoas, o setor esportivo tem demandado avanços tecnológicos que resultam em novas patentes para equipamentos esportivos,  além de produtos e processos para as áreas biomédicas e de medicina esportiva, sem contar com marcas e desenhos industriais que distinguem e impulsionam empresas e mercados.

Felipe Oliveira destacou ainda os recentes avanços do INPI, como a redução para 10 meses do tempo de exame de pedidos de marca e para sete dias para o registro de programa de computador. No caso dos pedidos de patentes aceitos nos programas prioritários do Instituto, o prazo de exame tem variado de 5 a 10 meses, de acordo com a modalidade: idosos, microempresas e empresas de pequeno porte, instituições de ciência e tecnologia, criadores de tecnologias verdes e participantes do Patent Prosecution Highway (PPH) – projeto entre escritórios nacionais/regionais de patentes no qual um país aproveita o exame do parceiro para realizar sua análise.

No painel “O Papel da Propriedade Intelectual no Incentivo ao Desenvolvimento do Esporte”, foram debatidos dois cases de empresas do Parque: a startup Eagle Sports Analytics, que desenvolveu uma ferramenta que dá suporte ao treinamento de atletas de judô do Instituto Reação, utilizando estatística e inteligência artificial; e a Holos Brasil, com suas iniciativas em pesquisa e desenvolvimento de tecnologia aplicada a materiais compostos utilizados na fabricação de barcos para competições.

Os pesquisadores do INPI Helmar Álvares e Elias Lawrence Marques participaram das discussões do painel levando informações sobre proteção das pesquisas por meio de ativos de propriedade intelectual, como registro de programa de computador e concessão de patente.

Foi realizada também uma homenagem ao professor Marcio Nogueira de Souza, do Programa de Engenharia Biomédica da COPPE UFRJ, por sua contribuição no desenvolvimento de projetos de tecnologia de ponta aplicados ao esporte.

fonte: http://www.inpi.gov.br/noticias/dia-mundial-da-pi-evento-na-ufrj-discute-a-inovacao-nos-esportes
5f3fff39-8326-4154-b8fe-937c1c82848e 07d70b02-c5cf-42ac-af38-f4df2fb8e1eb 6ac53624-5f92-4401-93a0-92de35106129

A Equipe Somarca  Deseja a Todos…

Uma Feliz Páscoa! Que neste dia renasça o amor da família, assim como renasceu Cristo.

Disse-lhe Jesus: “Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá; e quem vive e crê em mim, não morrerá eternamente.
Você crê nisso?” 
João 11:25-2657390198_588631334991659_4658994795430019072_n

Foi realizado, no dia 14 de março, às 14h, no auditório da Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI) no Brasil, o Seminário de Lançamento dos Cursos Avançados à Distância INPI – OMPI.

O seminário contou com as presenças do diretor executivo da Academia da OMPI, Sherif Saadallah, e do presidente do INPI, Cláudio Vilar Furtado. 

Os quatro cursos avançados, que serão realizados em Português, abordam os seguintes temas: Patentes; Marcas, DI e Indicações Geográficas; Busca de Informações de Patentes; e Noções Básicas de Redação de Patentes.

São eles: o DL 301P BR de Patentes e o DL 302P BR de Marcas, Desenhos Industriais e Indicações Geográficas, com duração de 150 horas cada um.

Somente com o Curso Geral de Propriedade Intelectual à Distância, o INPI e a OMPI já capacitaram mais de 17 mil pessoas no Brasil entre 2012 e 2018. Com os novos cursos, o objetivo é ampliar ainda mais esta capacitação. 

Para estes quatro cursos novos, a taxa de inscrição é de U$ 40,00 para estudantes e de U$ 60,00 para profissionais, mas há possibilidade de bolsa para funcionários de instituições governamentais. As inscrições ficarão abertas até o dia de 5 de abril de 2019, e o período de ambos os cursos é de 9 de abril a 19 de julho de 2019.

fc73d3a1-f869-4d0d-b706-810a87ad6bfd

Fonte: http://www.inpi.gov.br/noticias/inpi-e-ompi-lancam-cursos-avancados-de-pi-a-distancia
http://www.inpi.gov.br/noticias/abertas-inscricoes-para-cursos-avancados-de-pi-a-distancia

Ser mulher é fazer parte de uma história, de luta e de conquista, uma história rica em personagens.

Todas as mulheres são únicas e merecem ser homenageadas todos os dias e em qualquer situação. Mas especialmente neste mês, sua existência deve ser recordada e admirada por todos.

É preciso reconhecer a coragem, a força e a sensibilidade com que uma mulher vive. Os problemas que enfrenta; os desafios que supera.

Que o mês de março (o mês de todas as mulheres)mes-da-mulher-620_1 tenha passado com muitas homenagens e carinho e a singela homenagem da SM Somarca as mulheres, sirva de inspiração, que tenhamos novas e cada vez mais mulheres marcando positivamente nossa história !

Para finalizar as postagens sobre Mulheres que, com suas invenções, marcaram a história, temos a ultima escolhida:
 
Tabitha Babbitt – serra circular
Nascida em 1779 na cidade de Hardwick, Massachusetts (EUA), Babbitt é creditada por inventar a primeira serra circular, que permitia cortar madeira muito mais rápido do que o método tradicional, utilizando uma máquina movida à água de um moinho para criar o movimento. A invenção, de 1813, não foi patenteada pela americana, e acabou sendo registrada três anos depois por dois franceses que tiveram acesso aos documentos.Tabitha Babbitt - serra circular

Mary Anderson – limpador de para-brisa
Dirigir em dias de chuva ou neve só se tornou algo um pouco mais tranquilo depois da invenção do primeiro sistema automático para limpar o para-brisa do carro. A invenção da americana foi registrada em 1903, e permitia que o vidro fosse limpo pelas lâminas, que eram ativadas por dentro do veículo.

Mary Anderson - limpador de para-brisa

Stephanie Kwolek – kevlar
Filha de imigrantes poloneses, a química americana Stephanie Kwolek foi responsável por criar uma família de fibras sintéticas ultrarresistentes, mas que também eram bastante maleáveis. A tecnologia, batizada de “Kevlar”, foi aplicada a em aviões, pneus, barcos e até raquetes de tênis, no entanto, ficou mais conhecida pelo uso em coletes à prova de balas. Mesmo assim, Kwolek nunca lucrou com suas patentes, já que, à época, elas foram cedidas à empresa na qual a inventora trabalhava.

0 (2)

Marie Van Brittan Brown – sistema de monitoramento doméstico
Natural do bairro do Queens, em Nova York, a inventora afroamericana obteve, em 1969, a patente para o primeiro sistema de vigilância por vídeo para uso doméstico. O sistema funcionava com uma câmera que podia ser remotamente controlada e movida por quatro buracos diferentes, transmitindo as imagens para um monitor dentro de casa. A invenção foi a “mãe” dos sistemas modernos de vigilância doméstica, e a patente também está disponível para consulta.

0

 

Marion Donovan – fraldas descartáveis
Com dezenas de patentes registradas, a americana foi a responsável pela criação da primeira fralda descartável à prova de líquidos, o que facilitou a vida dos pais que sofriam ao trocar e lavar fraldas de pano. A ideia surgiu ao costurar uma cortina de chuveiro à fralda, o que evitava que a roupa do bebê e o berço ficassem molhados. Além disso, Donavan também foi responsável por substituir os alfinetes (perigosos para as crianças) por lacres de plástico nas fraldas.

0 (1)

Continuando com a comemoração ao Dia Internacional da Mulher, mais um pouco da história de mulheres e suas invenções……

 

Katharine Burr Blodgett – vidro invisível
O clássico do cinema “E o Vento Levou”, de 1939, levou 10 prêmios Oscar, incluindo o de Melhor Fotografia, já que as imagens, à época, eram consideradas impecáveis. O filme foi o primeiro a utilizar em suas câmeras o “vidro invisível”, criado pela física americana Katharine Blodgett. Sendo a primeira mulher a obter um Ph.D em física pela Universidade de Cambridge, na Inglaterra, Blodgett inventou um vidro extremamente fino e com baixíssimos níveis de reflexo e distorção. Com isso, acabou revolucionando as tecnologias de câmera e melhorando significativamente aparelhos como projetores, periscópios submarinos, microscópios, telescópios, entre outros.

 

 

0

 

Letitia Mumford Geer – seringa
Em 2 de abril de 1899, a americana Letitia Geer registrou a patente da primeira seringa para aplicação de substâncias por meio de um pistão, e que podia ser utilizada com apenas uma mão pelo médico. O conceito inventado por Geer facilitou bastante a vida dos profissionais de saúde, e as seringas modernas são inspiradas pelo modelo apresentado pela inventora. O documento que mostra a patente original, registrada no fim do século 19, está disponível online.

Letitia Mumford Geer - seringa

Para continuar com a comemoração ao Dia Internacional da Mulher, mais um pouco da história dessas mulheres….

Grace Hopper – compilador
Com Ph.D em matemática pela Universidade Yale, a americana Grace Hopper se voluntariou para Marinha americana durante a Segunda Guerra Mundial, onde trabalhou com programação do computador Mark I. Apelidada de “Amazing Grace”, Hopper foi responsável por inventar o primeiro compilador para linguagens de programação (ferramenta que transforma o código-fonte em uma linguagem), levando à criação do COBOL (Linguagem Comum Orientada para os Negócios, em inglês), a primeira linguagem de programação voltada ao uso comercial. Grace também cunhou o termo “bug” para descrever um problema no sistema de um computador, devido a uma mariposa encontrada dentro da máquina.

Grace Hopper - compilador

À direita, uma mariposa colada a um relatório sobre o computador de cálculos Mark II (Foto: Wikimedia Commons, U.S. Naval Historical Center Online Library Photograph).

 

Hedy Lamarr – conexão wireless
Além de atriz de Hollywood, famosa pelo longa “Ecstasy” (1933), a austríaca naturalizada norte-americana Hedy Lamarr foi a inventora de uma tecnologia que permitia controlar torpedos à distância, durante a Segunda Guerra Mundial, alterando rapidamente os canais de frequência de rádio para que não fossem interceptados pelo inimigo. Esse conceito de transmissão acabou, mais tarde, permitindo o desenvolvimento de tecnologias como o Wi-Fi e o Bluetooth.

54256148_567232153798244_1362895892998258688_n